Assembleia Geral: Sindilegis aprova prestação de contas e greve

A prestação de contas referente ao exercício de 2018 e a adesão à greve geral do próximo dia 14 de junho (sexta) foram aprovadas em assembleias gerais. Os dois encontros temáticos foram realizados na manhã de quinta (6) e contaram com a participação de representantes da diretoria e da base do sindicato.

“A avaliação dos balancetes financeiros é um ritual estatutário e anual. É importante porque prezamos pela transparência na relação sindicato-sindicalizados, tanto nas ações políticas quanto nas econômicas”, esclareceu Josias Ramos, que é tesoureiro-geral do Sindilegis. Os associados que desejam acompanhar os demonstrativos mensais podem acessar no sistema de finanças deste site.

Os participantes também discutiram a atuação do sindicato na paralisação contra a proposta de Reforma da Previdência do Governo Federal e os cortes no orçamento da educação. Foi acordado na reunião que será enviado à presidência da Alepe um ofício sugerindo a adoção de ponto facultativo no dia da greve.

Também estão previstas mobilizações de quarta a sexta desta semana. “Uma greve é um processo de formação, não é só parar. Temos que conscientizar os colegas e a população”, declarou o presidente do Sindilegis, Marconi Glauco.

Os balancetes? No site já estão atualizados até 1017. Os de 2018 estão sendo atualizados.” André falou isso.

Ato em frente da assembléia legislativa (quarta e quinta) 10 às 14 hrs
“Segunda vai ter um debate do Sindicontas, segunda às xx, sobre o que a reforma ataca na vida do servidor público.
“Nós não somos contra reformas, mas somos contra esse projeto de reforma”

Servidores aprovam pauta da Campanha Salarial 2019

Na tarde da quinta-feira (21), o Sindilegis-PE realizou a primeira Assembleia Geral para discutir a Campanha Salarial de 2019. Com ampla participação da categoria, a pauta discutida e aprovada pela base será apresentada à Mesa Diretora da Alepe no próximo dia 26 (terça), às 14h.

Dentre as itens a serem negociados estão a equiparação com o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) no que se refere ao modelo de cálculo das remunerações do cargo de agentes e técnicos legislativos. Esse será o primeiro ponto da pauta, conforme decisão da categoria.

Também constam o reajuste salarial (com reposição inflacionária) e o preenchimento, previsto em lei, de 30% dos cargos de superintendência da Casa por servidores efetivos. Também permanece o fortalecimento da Escola do Legislativo, a implantação da TV Alepe e a realização de novos concursos públicos.

O presidente do Sindilegis-PE, Marconi Glauco, considerou a Assembleia bastante satisfatória. “Depois de muita análise e debate das propostas colocadas pela diretoria, a categoria aprovou a pauta com algumas alterações. O mais importante foi a participação efetiva da base”, ressaltou.

Ele reforçou que a entrega das reivindicações ao presidente, ao primeiro-secretário e aos demais integrantes da Mesa Diretora será na terça que vem. “Na sequência, vamos marcar, em março, depois do Carnaval, a primeira reunião de negociação para encaminhar as propostas”, anunciou o gestor do sindicato.

MARCONI: A assembleia foi muito satisfatória houve um debate intenso e um grande comparecimento da categoria interessada na definição da pauta. Depois de muita análise e debate das propostas colocadas pela diretoria, a categoria aprovou a pauta com algumas alterações. O mais importante foi a participação efetiva da categoria na assembleia, aprovando a pauta que será entregue à Mesa Diretora nesta terça feira. A partir daí, marcamos em março, depois do carnaval, a primeira reunião de negociação para gente encaminhar as propostas que foram feitas pela categoria durante a assembleia”.

Diretoria promove a primeira reunião da Campanha Salarial de 2019

A diretoria executiva do Sindilegis-PE, em conjunto com o conselho sindical, realizou, nesta sexta (15), a primeira reunião da Campanha Salarial de 2019. O encontro, que teve o objetivo de discutir pauta de reivindicações da categoria, iniciou com análise de conjuntura feita por Jackeline Natal, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Pauta será posta em votação na Assembleia Geral desta quinta (21), às 13h, no auditório do Anexo I (4o andar).

A especialista fez um balanço do cenário internacional, ressaltando o momento de fortalecimento do liberalismo e das ideias reacionárias. Também foram tratados assuntos como o aprofundamento da financeirização da economia em detrimento da produção de bens e serviços, assim como a atual disputa por recursos naturais e consumidores.

Pensando o cenário nacional, a representante do Dieese explanou sobre os impactos de uma eleição de um governo liberal, mas conservador nos costumes, de ultradireita e com forte apoio dos militares. A partir disso, pautas como privatização, reformas Trabalhista e da Previdência e campanhas para desqualificar o servidor público culpá-los pelo déficit da Seguridade Social foram abordados.

“A gente está entrando em um modelo bem liberal, abrindo um leque enorme nas formas de contratação, como prevê a Lei de Terceirização, que vai impactar diretamente na base de arrecadação da previdência”, alertou Jackeline. Em Pernambuco, a situação é de um Estado com despesas com pessoal acima do limite prudencial (atingiu 47,38% ano passado), com retomada lenta do crescimento do PIB. “Há um indicativo de que o Governo do Estado deve segurar as despesas”, avaliou.

Com base nessa explanação, os diretores e representantes de base presentes discutiram ponto a ponto os itens da Campanha Salarial 2019. Entre as demandas a serem votadas pela categoria na semana que vem, estão questões como o cumprimento da lei que prevê o preenchimento de um terço dos cargos de superintendência por servidores efetivos e a atualização da proporcionalidade das carreiras de agentes, policiais e técnicos legislativos.

“Essa foi a primeira reunião do ano, para definir a proposta que a gente vai aprovar na assembleia de quinta. A diretoria analisou e está levando uma pauta que vai ser referendada ou modificada em conjunto com a categoria, para nortear nossa campanha salarial”, comentou o presidente do Sindilegis, Marconi Glauco.