Diretores e representantes de base definem agenda para o semestre

Integrantes da Diretoria e do Conselho Fiscal e representantes de base do Sindicato dos Servidores no Poder Legislativo do Estado de Pernambuco (Sindilegis-PE) se reuniram, na manhã desta quinta (4), na sede da instituição. O encontro discutiu propostas para a categoria e definiu a agenda do segundo semestre de 2018, além de repassar informes referentes às próximas atividades sindicais.

Na ocasião, os servidores trataram de demandas internas que vêm sendo discutidas com a Superintendência Geral da Assembleia Legislativa. A Diretoria Executiva anunciou que está dialogando com a gestão da Alepe sobre estratégias para a recuperação das perdas orçamentárias sofridas pelo Parlamento nos últimos anos. “Temos boas indicações sobre o assunto e estamos otimistas em relação ao orçamento de 2019”, observou o presidente do Sindilegis-PE, Marconi Glauco.

A categoria também obteve sinalização positiva para quatro demandas: a transferência da celebração do feriado do Dia do Servidor Público (28) para a segunda-feira (29); a publicação oficial, no início do ano, de um calendário anual de feriados, pontos facultativos e recesso administrativo; além da criação de um grupo de trabalho (GT), com participação do Sindilegis, para organização e padronização dos procedimentos administrativos da Alepe.

Ainda foram discutidos no encontro assuntos relacionados ao pleito eleitoral de 2018 e os desafios da classe trabalhadora diante da disputa política. “É importante que os eleitores observem as propostas dos candidatos, principalmente aquelas relacionadas às pautas trabalhistas e de interesse público”, ressalta o presidente. “O apoio ao movimento sindical também pode ser um indicativo do compromisso do político com os servidores.”

Informes – O Sindilegis-PE irá realizar, no dia 25 de outubro, um almoço comemorativo em homenagem ao Dia do Servidor Público, em horário e local que serão divulgados em breve para a categoria.

Já o planejamento estratégico do Sindilegis-PE, que vai reunir diretores, conselheiros e representantes de base, será realizado nos dias 18 e 19 de outubro, em Olinda. Nessa reunião, serão definidas as principais metas da instituição para o próximo ano.

No dia 1º de dezembro, será realizado o “Sambalegis”, confraternização de fim de ano dos servidores. Para 2018, a festa homenageará o samba, mas não deixará os outros ritmos musicais de fora da comemoração. Mais informações serão repassadas no próximo mês.

#EleNão: servidores participam de ato em defesa da democracia e dos direitos humanos

O Sindicato dos Servidores no Poder Legislativo do Estado de Pernambuco (Sindilegis-PE) expressou apoio, no último sábado (29), à luta das mulheres brasileiras contra toda forma de violência e discriminação, especialmente o machismo. Diretoras, diretores, representantes de base e filiados estiveram no ato #EleNão, no Centro do Recife.

“Foi um momento histórico, a maior passeata promovida por grupos feministas no País e com amplo apoio da sociedade civil organizada, expressando a revolta de todos contra posturas machistas, homofóbicas e racistas que reverberam no discurso do candidato à Presidência que lidera as pesquisas no 1º turno”, observou a secretária de Comunicação do Sindilegis-PE, Helena Alencar.

Com concentração na Praça do Derby, a manifestação política seguiu pela Avenida Conde da Boa Vista, reunindo uma multidão em defesa da democracia e dos direitos humanos. A passeata encerrou-se por volta das 18h30, na Praça do Diário. O Sindilegis se somou a outros sindicatos, partidos políticos e movimentos sociais que se posicionam contrariamente à conduta e aos discursos do referido candidato, sob a temática #EleNão.

Para o presidente do sindicato, Marconi Glauco, a presença da instituição e de servidores do Poder Legislativo representa uma posição em defesa das conquistas civis emancipatórias. “O Sindilegis-PE, observando os preceitos fundamentais da Constituição da República e os princípios orientadores do próprio estatuto, bem como sensível às causas populares e à proteção dos direitos da classe trabalhadora – e especial, das mulheres –, não poderia deixar de manifestar apoio ao movimento”, pontuou.