Categoria aprova adiamento das eleições para dezembro

As eleições para a Direção e o Conselho Fiscal do Sindilegis-PE serão adiadas para dezembro de 2021. A decisão foi tomada, por unanimidade, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), realizada nesta quinta (7), para deliberar sobre a transferência do pleito em razão da pandemia de Covid-19. A votação estava prevista para junho deste ano.

“Observamos um agravamento da crise sanitária, por causa do atraso na compra das vacinas e de orientações do Governo Federal contrárias ao uso de máscaras e ao distanciamento social”, explicou o presidente do sindicato, Marconi Glauco. “Assim, a Diretoria avaliou que seria melhor postergar a eleição.”

O gestor do Sindilegis-PE salientou, porém, que a data ainda pode mudar, a partir da realização de uma nova AGE, caso o cenário não melhore. “Estamos prevendo para dezembro com base no anúncio do Ministério da Saúde de que, até lá, teremos toda a população brasileira vacinada”, afirmou. “Também existe a possibilidade de um pleito virtual, como fizeram outras categorias. Mas isso requer a compra de uma plataforma segura, o que implica em um custo alto.”

Presidente do Conselho Fiscal do Sindilegis-PE, Edinilson Cardoso pontuou que a mudança no mês de eleição seria mais adequada à prestação de contas. Isso pode ser feito por meio de uma atualização do estatuto da entidade. “Já havíamos sugerido que o término do mandato coincidisse com o exercício financeiro (de janeiro a dezembro), para não dividir a análise das contas entre diferentes diretorias”, esclareceu o servidor.

A posição foi endossada pelo tesoureiro-geral, Josias Ramos. “Além disso, acredito que uma eleição virtual seria complicada pelo perfil da categoria: metade dos servidores são idosos, muitos deles, aposentados e com dificuldade para acessar plataformas digitais. Ouço esses relatos com frequência”, disse.

Solidariedade em tempos de Covid-19

Em sua fase mais grave, a pandemia de Covid-19 exigiu o isolamento social, o que intensificou a crise econômica e a desigualdade. Um estudo recente da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) constatou insegurança alimentar em 55,2% dos lares.

Também em Pernambuco diversas famílias perderam renda e acesso a serviços básicos. O Sindilegis-PE entende que a solução deve vir na forma de políticas públicas consistentes, por parte de governos sensíveis às carências e respeitosos dos direitos da população. Porém, enquanto isso não ocorre, ações solidárias vem garantindo o apoio necessário a pessoas em situação de vulnerabilidade.

Desde o início da pandemia, o sindicato vem realizando doações financeiras a instituições locais sérias que atuam para reduzir a fome em Pernambuco. Você também pode ajudar essas e outras entidades. Veja como:

Central Única das Favelas (Cufa-PE)

Instagram: @cufape

Campanha virtual: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/projeto-maes-da-favela

ID da Vakinha: 1756365 

 

Marcha Mundial das Mulheres Pernambuco

Instagram: @mmmpernambuco

Pix: 087.964.344-73 

 

Armazém do Campo Recife

Instagram: @armazemdocamporecife

Pix: 32.863.210/0001-08

 

Coletivo Unificados pela População em Situação de Rua (PSR)

Instagram: @unificadospsr

Pix: 14.560.664/0001-10

 

Projeto Pão Nosso de Cada Noite

Instagram: @paonossodecadanoite

Pix: 81999262570

 

Aliança de Mães Famílias Raras (Amar)

Instagram: @amaralianca

Pix: 251.440.009-0001-05

 

Abrigo Amigo Bicho

Instagram: @abrigoamigobicho

Pix: 053.448.204-02

Solidariedade em tempos de pandemia

O isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19 atingiu diversas famílias pernambucanas, que perderam renda e acesso a serviços e recursos básicos. A solidariedade surgiu como resposta a essa situação, com a participação do Sindilegis-PE, representando toda a categoria, em algumas dessas campanhas.

Inicialmente, o sindicato apoiou financeiramente a campanha do Projeto Mãos Solidárias, da Igreja Católica junto com o Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que fornece marmitas para pessoas em situação de rua no Centro do Recife. Também divulgou, nas redes sociais, os contatos dos agricultores familiares que participavam das feirinhas promovidas em frente à Alepe, bem como de dicas para apoiar outros trabalhadores nesses tempos difíceis.

Em outubro, o Sindilegis-PE uniu-se aos sindicatos dos servidores estaduais do Ministério Público (Sindsemppe), Tribunal de Contas (Sindicontas) e de Justiça (Sindjud-PE) para promover a doação de quase uma tonelada de alimentos para cerca de 3 mil indígenas da etnia Fulni-ô, em Águas Belas. Além de uma ajuda direta em dinheiro, foi criada uma vaquinha online para ações de enfretamento ao novo coronavírus, realizadas pela Associação Taidjôah.

A pauta chegou ao sindicato por meio do servidor André Zahar. Segundo ele, o apoio do Sindilegis-pe foi fundamental. “Sinto uma grande honra em ter contribuído para ativar essa rede, que tomou a frente da campanha e contribuiu decisivamente para apoiar, neste momento tão difícil, uma população severamente atingida pelo novo coronavírus”, afirmou.

“Mais do que isso: o sindicato ajudou a garantir os direitos e a preservação da cultura de um povo que há milênios habita este nosso continente e com o qual temos muito ainda para aprender se quisermos viver num país com mais justiça, diversidade e equilíbrio com o meio ambiente’’, complementou Zahar.

Para o presidente do sindicato, Marconi Glauco, esse tipo de ação se alinha à ideologia da organização. “O Sindilegis-PE tem, entre as prerrogativas, a de ser uma entidade solidária. A pandemia atingiu milhares de brasileiros, muitos deles, desempregados. Tentamos nos engajar, junto a três sindicatos parceiros, para atenuar um pouco o sofrimento dessas pessoas.”

Ações remotas para manter a base conectada

Em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), o Sindilegis-PE suspendeu, no dia 17 de março, as atividades presenciais, seguindo as orientações das autoridades sanitárias. Mas o trabalho continua, com ações sindicais e atendimento administrativo ocorrendo de forma remota. Além disso, ao longo de 2020, o sindicato apostou em eventos virtuais para manter a integração com a base.

Reuniões quinzenais de diretoria, contatos frequentes com a Mesa Diretora e encontros com servidores foram realizados de forma online. Telefone e e-mail também são usados com frequência, assim como uma novidade implantada neste ano: a lista de transmissão pelo WhatsApp.

Para o presidente Marconi Glauco, a experiência demonstra o empenho da organização em dar prosseguimento às pautas da categoria. “A experiência dos encontros virtuais, no início, se mostrou bastante dificultosa, até pela falta de costume. Apesar disso, conseguimos manter um contato constante com a Mesa Diretora, por meio de articulações, encaminhar as demandas”, afirmou.

O sindicato também apostou em formas inovadoras de celebrar datas queridas da categoria, como o Dia do Servidor e da Servidora (ver reportagem acima), o São João e as comemorações de fim de ano. Para o tesoureiro-geral do Sindilegis-PE, Josias Ramos, esses eventos motivam e estimulam a participação de mais servidores e servidoras. “É necessário neste momento que estamos vivendo, até mesmo pela impossibilidade de se reunir presencialmente. Congratulações, mesmo virtuais, fortalecem nossos laços, nossa integração e a unidade sindical que viemos construindo nesses anos todos’’, pontuou.