Categoria aprova contas de 2019 e 2020 por unanimidade

Na manhã desta sexta (26), o Sindicato dos Servidores Públicos do Poder Legislativo do Estado de Pernambuco (Sindilegis-PE) realizou uma Assembleia Geral Ordinária (AGO) virtual para apresentar a prestação de contas referente aos anos de 2019 e 2020.

Os dados, detalhados pelo primeiro-tesoureiro, Washington Luiz, e pelo presidente do Conselho Fiscal, Ednilson Cardoso, foram aprovados por unanimidade pelos filiados presentes.

Tesoureiro-geral do Sindilegis-PE, Josias Ramos destacou que, nos 12 anos em que o atual grupo encontra-se à frente da diretoria da instituição, houve quitação de dívidas de gestões anteriores. “Hoje, o sindicato não só é superavitário como também possui sede própria”, informou. “E somos o sindicato com a menor taxa do país, apenas 0,5% do vencimento.”

Já o presidente Marconi Glauco comemorou os números da gestão e salientou que todas as providências para assegurar que não haja prejuízos ao sindicato em virtude de dívidas com convênios já foram tomadas. “Uma das providências para assegurar a transparência e a lisura das contas que esta gestão tomou foi a contratação de uma auditoria para nos ajudar na fiscalização das contas”, comunicou.

Assembleia Geral: Sindilegis aprova prestação de contas e greve

A prestação de contas referente ao exercício de 2018 e a adesão à greve geral do próximo dia 14 de junho (sexta) foram aprovadas em assembleias gerais. Os dois encontros temáticos foram realizados na manhã de quinta (6) e contaram com a participação de representantes da diretoria e da base do sindicato.

“A avaliação dos balancetes financeiros é um ritual estatutário e anual. É importante porque prezamos pela transparência na relação sindicato-sindicalizados, tanto nas ações políticas quanto nas econômicas”, esclareceu Josias Ramos, que é tesoureiro-geral do Sindilegis. Os associados que desejam acompanhar os demonstrativos mensais podem acessar no sistema de finanças deste site.

Os participantes também discutiram a atuação do sindicato na paralisação contra a proposta de Reforma da Previdência do Governo Federal e os cortes no orçamento da educação. Foi acordado na reunião que será enviado à presidência da Alepe um ofício sugerindo a adoção de ponto facultativo no dia da greve.

Também estão previstas mobilizações de quarta a sexta desta semana. “Uma greve é um processo de formação, não é só parar. Temos que conscientizar os colegas e a população”, declarou o presidente do Sindilegis, Marconi Glauco.

Os balancetes? No site já estão atualizados até 1017. Os de 2018 estão sendo atualizados.” André falou isso.

Ato em frente da assembléia legislativa (quarta e quinta) 10 às 14 hrs
“Segunda vai ter um debate do Sindicontas, segunda às xx, sobre o que a reforma ataca na vida do servidor público.
“Nós não somos contra reformas, mas somos contra esse projeto de reforma”