Diretoria promove a primeira reunião da Campanha Salarial de 2019

A diretoria executiva do Sindilegis-PE, em conjunto com o conselho sindical, realizou, nesta sexta (15), a primeira reunião da Campanha Salarial de 2019. O encontro, que teve o objetivo de discutir pauta de reivindicações da categoria, iniciou com análise de conjuntura feita por Jackeline Natal, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Pauta será posta em votação na Assembleia Geral desta quinta (21), às 13h, no auditório do Anexo I (4o andar).

A especialista fez um balanço do cenário internacional, ressaltando o momento de fortalecimento do liberalismo e das ideias reacionárias. Também foram tratados assuntos como o aprofundamento da financeirização da economia em detrimento da produção de bens e serviços, assim como a atual disputa por recursos naturais e consumidores.

Pensando o cenário nacional, a representante do Dieese explanou sobre os impactos de uma eleição de um governo liberal, mas conservador nos costumes, de ultradireita e com forte apoio dos militares. A partir disso, pautas como privatização, reformas Trabalhista e da Previdência e campanhas para desqualificar o servidor público culpá-los pelo déficit da Seguridade Social foram abordados.

“A gente está entrando em um modelo bem liberal, abrindo um leque enorme nas formas de contratação, como prevê a Lei de Terceirização, que vai impactar diretamente na base de arrecadação da previdência”, alertou Jackeline. Em Pernambuco, a situação é de um Estado com despesas com pessoal acima do limite prudencial (atingiu 47,38% ano passado), com retomada lenta do crescimento do PIB. “Há um indicativo de que o Governo do Estado deve segurar as despesas”, avaliou.

Com base nessa explanação, os diretores e representantes de base presentes discutiram ponto a ponto os itens da Campanha Salarial 2019. Entre as demandas a serem votadas pela categoria na semana que vem, estão questões como o cumprimento da lei que prevê o preenchimento de um terço dos cargos de superintendência por servidores efetivos e a atualização da proporcionalidade das carreiras de agentes, policiais e técnicos legislativos.

“Essa foi a primeira reunião do ano, para definir a proposta que a gente vai aprovar na assembleia de quinta. A diretoria analisou e está levando uma pauta que vai ser referendada ou modificada em conjunto com a categoria, para nortear nossa campanha salarial”, comentou o presidente do Sindilegis, Marconi Glauco.